Principais tipos de cirurgia plástica nos seios

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o Brasil está em segundo lugar no ranking dos países que mais fazem cirurgia plástica no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos. E as cirurgias nos seios são as mais procuradas.

Porém, é preciso considerar que existem vários tipos de cirurgias plásticas que podem ser feitas nos seios, desde para aumentá-los, diminuí-los, levantá-los e até mesmo reconstruí-los, como em casos de remoção da mama devido a um câncer.

Se engana quem pensa que só mulheres fazem cirurgia nas mamas, pois há casos em que os homens recorrem à cirurgia para diminuí-las, como no caso de ginecomastia, quando as mamas crescem pelo desenvolvimento excessivo do tecido mamário.

No entanto, seja pelo motivo que for, qualquer mamoplastia só pode ser realizada após os 18 anos, pois só a partir desta idade a mama já se encontra desenvolvida.

1. Mamoplastia de aumento

A mamoplastia de aumento, aquela para aumentar o tamanho dos seios, é geralmente recomendada quando a mulher não se sente bem com o tamanho natural de seus seios, causando diminuição da autoestima, entre outros problemas psicológicos.

Vale saber, também, que há casos de mulheres que, após amamentar, perdem volume de mama e a cirurgia também pode ser usada nesses casos, geralmente, sendo colocada uma prótese de silicone, podendo ser de diversos tamanhos e ser colocada por cima do músculo do peito ou por baixo deste.

o Femme Busto gel também pode ser considerado como opção para quem deseja aumentar os seios sem precisar recorrer a cirurgia.

2. Mamoplastia redutora

A mamoplastia redutora é realizada no caso da mulher querer diminuir o tamanho de seus seios, devido a desproporcionalidade em relação ao corpo ou quando o peso dos seios causa dores nas costas.

Nesta cirurgia, é removido o excesso de gordura e pele, para chegar ao tamanho de mama mais proporcional ao corpo.

Esse tipo de cirurgia também pode ser adaptado para o homem que possui ginecomastia, eliminando o excesso de tecido mamário.

3. Mastopexia para levantar os seios

Já, no caso da mulher nem querer aumentar os seios e nem diminuí-los, apenas levantá-los, há a opção da Mastopexia, dando forma à mama, principalmente quando está muito caída e flácida, o que ocorre naturalmente a partir dos 50 anos, após amamentação ou devido a oscilações de peso.

Na mastopexia, o cirurgião levanta a mama, removendo o excesso de pele e comprimindo o tecido, sendo muito comum realizar esta cirurgia paralelamente com a mamoplastia de aumento ou redução.

4. Cirurgia de reconstrução dos seios

Já, no caso da cirurgia de reconstrução da mama, ela é feita para alterar completamente a forma, o tamanho e a aparência da mama, geralmente,  é feita  após remoção de parte da mama devido a situações de câncer.

Mas, pode ser feita apenas reconstrução do mamilo ou da aréola, no caso desta ser grande ou assimétrica, sendo comum, também, ser feita uma mamoplastia para deixar a mama mais bonita e natural.

Pós-operatório da cirurgia plástica nos seios

Vale ter em mente que a recuperação de qualquer uma dessas cirurgias costuma demorar cerca de 2 semanas e, nos primeiros dias, é normal sentir alguma dor ou desconforto na região, sendo preciso, por isso, apelar para cuidados como procurar dormir sempre de barriga  para cima; Usar uma bandagem elástica ou sutiã, Evitar fazer movimentos com os braços, Tomar analgésicos.

Em alguns casos, ainda, é preciso ficar com um dreno após a cirurgia, sendo retirado 1 a 2 dois depois e os pontos, geralmente, são retirados entre 3 dias a 1 semana.

Possíveis complicações

Embora não seja muito comum, podem haver algumas complicações após a cirurgia plástica nos seios, desde uma Infecção; ​Hematoma; Dor e sensibilidade da mama; Rejeição ou ruptura da prótese; Assimetria de mama; Sangramento ou rigidez excessiva do peito.

No mais, essas cirurgias, geralmente, são feitas com anestesia geral e demoram em média, 1 hora, e a pessoa precisa ficar internada na clínica durante cerca de 2 dias.